GM amplia fábrica em Santa Catarina que vai fabricar motor do novo Onix

ExameGM amplia fábrica em Santa Catarina que vai fabricar motor do novo Onix

A ampliação custou 2 bilhões de reais, em investimento que já havia sido anunciado no ano passado

Fábrica da General Motors em Joinville: unidade fabricará motores do novo Onix (GM/Divulgação)

A General Motors, dona da Chevrolet, inaugurou nesta terça-feira 22 uma ampliação de sua fábrica de motores em Joinville, no estado de Santa Catarina.

Os motores produzidos no local serão usados na fabricação da nova geração do modelo Onix, o carro mais vendido do Brasil em 2018 — posição que ocupa pelo quarto ano consecutivo.

A ampliação custou 2 bilhões de reais, em uma que obra fez a fábrica passar de 14.000 metros quadrados para 60.800 metros quadrados. A expectativa é triplicar o número de motores produzidos, dos atuais 174.000 por ano para 410.000 motores.

A unidade também ganhou novos equipamentos, com mais de 600 novas máquinas e 90 robôs, que fazem parte do trabalho sem interferência humana. O objetivo é aumentar a automação da produção. Também foram acrescentados à fábrica painéis de energia solar que, segundo a empresa, reduzirão o impacto ambiental.

Além de Santa Catarina, a GM tem fábricas em São José dos Campos, Mogi das Cruzes e São Caetano do Sul, ambas em São Paulo, e em Gravataí, no Rio Grande do Sul. O grupo vendeu quase 390.000 carros no ano passado e domina 18,53% do mercado brasileiro.

O fico da GM

Apesar do sucesso do Onix, a presidente mundial da GM, Mary Barra, chegou a dar neste ano sinais de que estaria considerando sair da América do Sul, onde mantém fábricas no Brasil, na Colômbia e na Argentina. Os prejuízos em 2018 podem ter chegado a 1 bilhão de reais, em meio à crise econômica no continente e à concorrência de novas montadoras. 

Após negociação com a GM, o governador de São Paulo, João Doria, lançou em março um programa de incentivo fiscal à indústria paulista de veículos. O programa oferece reduções do ICMS de até 25% para montadoras com planos de investir pelo menos 1 bilhão de reais e gerarem no mínimo 400 postos de trabalho. A empresa terminou por ficar no país e anunciou investimento de 10 bilhões de reais no Brasil.

A obra em Joinville já estava prevista antes dessas discussões, e havia sido anunciada em fevereiro de 2018.