Coronavírus: hospital de aborto legal de SP interrompe serviço

Revista Marie ClaireCoronavírus: hospital de aborto legal de SP interrompe serviço
Hospital Pérola Byington interrompe serviço de aborto legal durante coronavírus (Foto: Reprodução)

Hospital Pérola Byington interrompe serviço de aborto legal durante coronavírus (Foto: Reprodução)

Como já aconteceu em países europeus, a crise do coronavírus começa a atingir o serviço de aborto também no Brasil. Uma reportagem da revista AzMina constatou que o Hospital Pérola Byington, referência em aborto legal no Brasil, interrompeu temporariamente o serviço de interrupção de gravidez. A reportagem ligou para o hospital no telefone de atendimento, pedindo informações sobre como proceder para interromper uma gestação após um estupro, e foi informada de que o serviço não está funcionando enquanto durar a crise do coronavírus. 

Em nota, a Frente Nacional Contra a Criminalização das Mulheres e Pela Legalização do Aborto disse que a interrupção do serviço do Pérola Byington “representa grave barreira no acesso ao aborto legal, empurrando as mulheres para a ilegalidade. Uma ilegalidade que, como mostram os dados, impõe maior risco à saúde e à vida, principalmente das mulheres negras e empobrecidas”. Já que a interrupção legal pode ser feita somente até 12 semanas de gestação, sem a previsão do fim da pandemia, muitas mulheres podem ficar desamparadas.

A Frente ainda destaca que é problemático o fechamento do serviço sem divulgação ampla das alternativas oferecidas em momento de isolamento social, quando os casos de violência doméstica estão aumentando.

As mulheres que precisarem interromper a gravidez nos três casos previstos em lei (estupro, anencefalia do feto e risco à vida da gestante) podem recorrer a outros dois serviços na cidade, que seguem funcionando. A Revista AzMina entrou em contato com os outros cinco hospitais que oferecem o serviço de aborto legal em São Paulo, segundo o site da Prefeitura.

Dois deles informaram que o serviço segue funcionando e é preciso fazer agendamento com ginecologista: o Hospital Municipal Maternidade Dr. Mário de Moraes Altenfelder Silva, na Vila Nova Cachoeirinha (agendamento pelo telefone 3986-1151) e o Hospital Municipal Tide Setúbal, em São Miguel Paulista (agendamento pelo telefone 3394-8840). 

Dois dos hospitais não souberam informar à reportagem se o serviço está funcionando e orientaram a mulher a passar pelo atendimento ginecológico do pronto socorro para ter encaminhamento: Hospital Municipal Dr. Fernando Mauro Pires da Rocha, no Campo Limpo, e o Dr. Herminio Caricchio, no Tatuapé. 

Já o Hospital Prof. Mario Degni, no Jardim Sarah, informou que o serviço está paralisado devido ao atendimento ao coronavírus.

Você já acessou o Beauty Tudo hoje? Todos os dias tem uma avaliação nova de produto na mais diversa plataforma de beleza do país.